Armas de Guerra

 

Helicóptero AW 101 - Grã-Bretanha / Itália

O AgustaWestland AW101, também conhecido como EH-101 ou simplesmente Merlin, é considerado o helicóptero de médio porte mais poderoso, moderno e caro do mundo hoje, cujos padrões de tecnologia avançada e alta segurança o tornam uma escolha lógica para os setores militar e governamental. Em 1977, o Ministério da Defesa do Reino Unido emitiu um requisito para um helicóptero de guerra anti-submarino (ASW) para substituir os Westland WS-61 Sea King, que estavam se tornando inadequados frente aos avanços na tecnologia dos submarinos soviético á época. A Westland Helicopters elaborou uma proposta, designada WG.34 , para um helicóptero trimotor de dimensões semelhantes ao Sea King, mas que deveria ter mais autonomia e um alcance maior do que seu antecessor. Ao mesmo tempo, a Marinha italiana (Marina Militare) também considerava a substituição da sua frota de Sea King, construída pela empresa italiana Agusta; logo a Westland e Agusta começaram a conversar sobre o desenvolvimento conjunto de um novo helicóptero e para tanto finalizaram um acordo e formaram uma joint venture, EH Industries Limited (EHI). Em 12 de junho de 1981, o governo britânico confirmou sua participação no projeto, alocando um orçamento inicial de £ 20 milhões para desenvolver nove unidades de pré-série. Um acordo mais amplo, que garantiu financiamento para a maior parte do programa de desenvolvimento do EH101, foi assinado pelos governos britânico e italiano em 1984. No Paris Air Show de 1985, a Agusta mostrou uma maquete de uma versão utilitária do novo helicóptero, levando a um design mais generalizado que poderia ser personalizado para atender às necessidades de vários clientes civis ou militares. O primeiro protótipo voou em outubro de 1987. Neste mesmo ano, o Canadá selecionou o EH101 para substituir seus Sea King nas missões de ASW e SAR. Seu terceiro motor, maior alcance e capacidade de degelo em comparação com aeronaves concorrentes, foram vistos como vitais para as operações no Atlântico Norte. Porém devido ao seu alto custo de aquisição e manutenção e a desavenças políticas internas, o pedido foi cancelado pelo novo governo liberal em 1993, resultando em uma multa de cancelamento de US$ 470 milhões. Mas anos depois, o Canadá resolveu adquiri-lo, principalmente para missões SAR, onde operaria com a designação CH-149 Cormorant. Em fevereiro de 1995, a Grã-Bretanha formalmente fez seu primeiro pedido para um total de 22 EH101, seguido por uma ordem da Itália por 16 EH101 em outubro de 1995. As entregas de Royal Air Force (RAF) começaram em 1997 e as da Royal Navy (RN) no ano seguinte. Após a fusão da Westland e da Agusta para formar a AgustaWestland em 2000, o EH101 foi formalmente renomeado como AW101 em 2007. O AW101 segue um layout de design convencional, mas faz uso de tecnologias avançadas, como o desenho das pás do rotor, sistemas aviônicos e uso extensivo de materiais compostos. A estrutura da fuselagem é modular e compreende uma liga de alumínio-lítio, projetada para ser leve e resistente a danos. A aeronave foi projetada para operar em condições climáticas extremas e está equipada com um sistema de degelo classificado para operar em temperaturas que variam entre -45° e +50°C. Seus sistemas de controle permitem que mantenha uma navegação estável em ventos laterais de  até 74 km/h. Um sistema conhecido como controle ativo de resposta estrutural, reduz a vibração da fuselagem em até 80%, o que aumenta o conforto da tripulação e minimiza o acúmulo de estresse na fuselagem.

A cabine é equipada com assentos blindados para a tripulação e pode suportar uma velocidade de impacto de mais de 10 m/s. Controles de voo são duplicados, embora o AW101 possa ser pilotado por uma única pessoa. O painel dos pilotos incluem seis telas coloridas de alta definição e um visor de missão opcional do FLIR também pode ser instalado. O AW101 é alimentado por três turbinas General Electric CT7-8E que acionam um rotor principal de cinco pás com 18,59 m de diâmetro. Estas são fabricadas em carbono/fibra de vidro com Nomex e espuma Rohacell, em uma construção "em sanduíche", com bordos de ataque em liga de titânio. Seu formato é derivado do rotor BERP (British Experimental Rotor Program) usadas pela primeira vez no Westland Lynx. O design da lâmina melhora a eficiência aerodinâmica nas extremidades e reduz a assinatura acústica. Cada motor é alimentado por um tanque de combustível autoselante separado de 1.074 litros e dois tanques opcionais podem ser adicionados, aumentando o alcance. O AW101 também pode ser equipado com uma sonda para reabastecimento em voo (REVO). A maioria das variantes do AW101 está equipada com sistemas de autodefesa, como dispensadores de chaff e flare, contra-medidas infravermelhas direcionadas, ESM (Electronic Support Measures) e um sistema de detecção e alerta de laser. Um sensor de imagem infravermelho FLIR, montado na lateral, foi instalado em algumas variantes. O AW101 apresenta uma rede de gerenciamento e sistemas de missão projetados para reduzir a carga de trabalho do piloto e capacitar o helicóptero a realizar uma ampla variedade de missões. Está equipado também com um sistema de controle de voo automático digital (AFCS - Automatic Flying Control System) que permite a operação do piloto automático de quatro eixos (pitch, roll, yaw e coletivo) e do sistema de estabilização automática, usando dois computadores de voo para fornecer redundância e tolerância a falhas. O sistema de navegação inclui um receptor GPS e sistema de navegação inercial, alcance de rádio omnidirecional VHF (VOR), sistema de pouso por instrumentos (ILS), TACAN e localização automática de direção. Por segurança, a aeronave está equipada com sistemas de alerta para evitar obstáculos e terreno, sistema para evitar colisões de tráfego (TCAS) e gravadores de voz e dados de voo. O AW101 está equipado com o radar de busca e detecção Blue Kestrel, com capacidade de varredura de 360° e pode detectar pequenos alvos em até 25 milhas náuticas. Como parte do programa de atualização Merlin HM2 da Royal Navy, a Lockheed Martin implementou uma série de melhorias no radar, notadamente permitindo que ele rastreasse um número bem maior de alvos. Contam também com o sistema anti-submarino AQS901 para processamento de dados ultrassonográficos de sonobóias para detectar submarinos submersos. Até abril de 2009, mais de 180 AW101 já haviam sido vendidos em todo o mundo e a frota operacional combinada acumulara um total de 170.000 horas de voo. Hoje esta avançada aeronave opera nos mais diversos continentes, servindo às Forças Armadas dos seguintes países: Grã-Bretanha, Itália, Japão, Canadá, Portugal, Dinamarca, Noruega, Argélia, Indonésia e Polônia.


Origem
 
  
 
Grã-Bretanha / Itália
Dimensões
compr: 19,5 m  / altura: 5,3 m
Peso
15.600 kg
Velocidade
309 km/h
Alcance
830 km
Motorização
3 turbinas GE CT7-8E
Potência
3 x 2.525 hp



www.militarypower.com.br
A sua revista de assuntos militares na internet
eXTReMe Tracker