Armas de Guerra



Helicóptero NH90 - Europa

O NH90 é um helicóptero militar de tamanho médio, biturbina e multifunção. Foi desenvolvido em resposta aos requisitos da OTAN para um helicóptero de campo de batalha, que também fosse capaz de ser operado em ambientes navais. Ele foi projetado e fabricado pela NH Industries, uma empresa colaborativa de propriedade da Airbus Helicopters, Leonardo (anteriormente AgustaWestland) e Fokker Aerostructures. Em 1985, a França, a então Alemanha Ocidental, a Itália, a Holanda e a Grã-Bretanha se uniram para desenvolver um helicóptero de transporte e antinavio/antissubmarino para a OTAN na década de 1990. A Grã-Bretanha deixou o consórcio em 1987. Em setembro de 1992, a NH Industries assinou um contrato de design e desenvolvimento com a NAHEMA (Agência de Gestão de Helicópteros da OTAN). Os trabalhos no detalhamento do projeto da aeronave começaram em 1993 e já em dezembro 1995 o primeiro protótipo realizou seu voo inaugural. Em seguida vieram mais dois protótipos, iniciando-se então a fase de testes de voo e a campanha de certificação junto às agência de administração aeronáutica. O primeiro helicóptero do tipo entrou em serviço operacional em 2007. Até janeiro de 2017, o NH90 havia registrado 127.000 horas de voo nas Forças Armadas de treze nações. O NH90 tem a distinção de ser o primeiro helicóptero de produção a ser montado com controles de voo totalmente fly-by-wire. Foram desenvolvidas duas variantes principais: o helicóptero de transporte tático (TTH) para o uso do exército e o helicóptero navalizado para fragatas da OTAN (NFH), que mantêm uma comunalidade entre si de 75% de seus componentes. Além disso, muitos dos operadores solicitaram configurações específicas para suas próprias frotas de helicópteros, pelo que o NH90 de cada nação é efetivamente personalizado para os requisitos do usuário final. Como tal, seu design reúne múltiplos padrões nacionais e internacionais, incluindo processos de aeronavegabilidade militar na Alemanha, França, Itália e Holanda; conformidade com os padrões de projeto FAR 29 e MIL-STDS, bem como o desempenho das condições de gelo DEF-STN 00-970 e a compatibilidade eletromagnética. Um piloto automático de quatro eixos também está integrado com o sistema fly-by-wire, assim como sistemas de missão e navegação para permitir uma maior autonomia durante as operações e reduzir a carga de trabalho do piloto. O envelope de voo do NH90 permite operações diurnas e noturnas sob quaisquer condições de tempo, operações navais durante os piores estados de mar, em uma faixa de temperatura de -40°C a +50°C, a uma altitude máxima de até 6.000 metros.

A potência é fornecida por um par de motores turboshaft, que dependendo da seleção do cliente, pode ser equipado com o Rolls-Royce Turbomeca RTM322 ou o General Electric T700E. Os gases de escape dos motores são filtrados através de um sistema de resfriamento para diminuir sua assinatura infravermelha. De acordo com a Airbus Helicopters, o NH90 possui a menor assinatura radar (RCS - radar cross-section) em sua classe, principalmente devido à sua fuselagem em forma de diamante (chanfrada ao longo de seu comprimento) e aos materiais compostos (composite) usados em sua construção. Esta estrutura avançada, projetada para tolerância balística, lhe confere um alto nível de resistência a impactos contra o solo, menor peso e uma durabilidade da célula 30% maior em relação às metálicas. As quatro lâminas do rotor principal também são feitas em materiais compostos, aumentando a resistência à fadiga e a vida útil, proporcionando maior tolerância ao dano. A área de cabina principal desobstruída pode ser acessada através de duas grandes portas de correr em ambos os lados da fuselagem ou através de uma rampa traseira, sendo projetada para acomodar pacotes de equipamentos modulares (pallets) para permitir que o helicóptero seja rapidamente reconfigurado, proporcionando flexibilidade operacional. Em uma missão de transporte de tropas, a cabine pode acomodar até 20 soldados totalmente equipados, ou até 12 macas na configuração de evacuação médica, e possui amplitude bastante para transportar alguns veículos leves. Está equipado com sistemas de controle ambiental e isolamento acústico a fim de melhorar as condições dos passageiros. Para a realização de operações navais, os NH90 geralmente estão equipados com o sistema de arpão para ajudar em sua imobilização quando do pouso em convés, sistema automático de dobragem das lâminas do rotor principal e do rotor cauda para facilitar sua acomodação no hangar e outros sistemas de manobra para conduzir com segurança as operações navais em quaisquer condições meteorológicas. Para missões antinavio ou antissubmarino, também pode ser equipado com radar 360° de varredura de superfície, sonar de profundidade e sonobóias. O NH90 possui uma variedade de sistemas aviônicos personalizáveis, dependendo da seleção e finalidade do operador final. Em alguns modelos, a empresa francesa Thales Group fornece o cockpit com monitores digitais multifunções a cores (glass cockpit), sistemas de missão tática, sistemas de comunicação criptografados, capacete HMD TopOwl (helmet-mounted sight and display), codificador IFF (Identification Friend or Foe) e sistemas de navegação autônomos. Outros sistemas incluem torreta giroestabilizada com sensores FLIR, radar meteorológico, sistema de geração de mapas digitais, sistema avançado de alerta de proximidade do solo e rádios táticos VHF/UHF. Em 2015, o NH90 tornou-se o primeiro helicóptero a receber um sistema de prevenção de colisão no ar com base em laser. Todos os sistemas de missão a bordo possuem redundância e são gerenciados de forma abrangente por meio da fusão de sensores, o que possibilita ao piloto visualizar as informações de diferentes sistemas em uma única tela de LCD.

Em junho de 2000, as nações parceiras colocaram uma grande ordem de produção, no valor de US$ 8,6 bilhões, para um total de 366 unidades. As encomendas adicionais seguiram desde clientes da Europa, Ásia, Oriente Médio e Oceânia, totalizando até o momento 507 helicópteros NH90 de todas as variantes encomendados por vários clientes. Os operadores atuais são os seguintes, considerando-se as aeronaves já entregues e as encomendadas: Alemanha (90 unidades); Austrália (47); Bélgica (10); Finlândia (20); Espanha (22); França (95); Grécia (20); Holanda (16); Itália (105); Noruega (14); Nova Zelândia (8); Omã (20) e Suécia (18).


Origem
  
Alemanha, França, Itália e Holanda
Dimensões
Comprimento: 16,3 m / altura: 4,1 m
Peso
10,6 ton. (máximo na decolagem)
Alcance
980 km
Velocidade
300 km/h (máxima)
Turbinas
2 x RR RTM322-01, com empuxo
unitário de 2.380 hp
Tripulação
piloto e copiloto

 


             ......,,,,,,,,,,,....www.militarypower.com.br                                   eXTReMe Tracker
                       A sua revista de assuntos militares na internet