Carro de combate Challenger - Grã-Bretanha


O projeto do Challenger surgiu após os cancelamentos da encomenda feita pelo Irã em 1974 de 1.200 Shir 2 e do projeto MBT-80 que a Grã-Bretanha desenvolvia com a Alemanha. O carro de combate Shir 2 era um projeto novo, baseado no Chieftain do qual herdara o conjunto motor, armamento e sistema de controle de tiro, porém o chassi e a torre redesenhada com blindagem Chobham (feita de camadas sobrepostas de alumínio, titânio, cerâmica e outros materiais secretos) contavam com maior proteção contra munição HEAT. Assim, em 1980 o Ministério da Defesa britânico anunciou que daria continuidade ao projeto iniciado com o Shir 2, agora rebatizado de Challenger, encomendando 237 unidades para o Exército, com os primeiros exemplares entregues em 1983. O armamento principal consiste de um canhão L11A5 de 120 mm, que pode disparar vários tipos de projéteis como APDS-T (perfurante), HESH (alto explosivo) e fumígena, conectado a um IFCS, sistema avançado de controle de tiro totalmente computadorizado fabricado pela Marconi, e a um telêmetro a laser. Um total de 64 cargas são transportadas, juntamente com 4.000 cartuchos de metralhadora de 7.62 mm. A suspensão hidropneumática além de permitir uma excelente dirigibilidade em terreno acidentado, proporciona uma plataforma de tiro mais estável. Com peso de combate de 62 toneladas, é impulsionado por um motor Rolls Royce CV-12, de 12 cilindros, a diesel, que desenvolve 1.200 hp, permitindo-lhe atingir uma velocidade em estrada de quase 60 km/h.



Passe o mouse sobre a imagem acima para visualizar o desenho estrutural do Challenger


Em 1998 entrou em serviço no Exército britânico o Challenger 2, versão mais avançada desenvolvida pela Alvis Vickers Ltd, com uma encomenda total de 386 unidades. Dotado com o novo canhão L-30, confeccionado com aço eletroescória refinado (ESR), montado em uma torre com rotação de 360° e elevação de -10° a +20°. Está equipado com uma metralhadora coaxial Boeing e uma metralhadora anti-aérea GPMG L37 A2, ambas de 7.62 mm. Sua proteção está garantida pela segunda geração da blindagem Chobham e por um sistema completo NBC (nuclear, biological and chemical protection). Está equipado com uma Plataforma de Informações do Campo de Batalha (PBISA), sistema de navegação inercial e visor panorâmico giroestabilizado VS 580-10, da empresa SAGEM. O sistema de visão noturna TOGS II (Thermal Observation and Gunnery Sight), da Thales Optronics, gera uma imagem térmica do alvo, com ampliação de 4 a 12x, que é mostrada nos monitores do atirador e do comandante. Com seu respeitável poder de fogo, sua eficiente proteção blindada, a ótima mobilidade e a notável adaptabilidade herdadas do Chieftain, o Challenger reúne em alto grau as quatro qualidades básicas exigidas de um bom carro de combate.

Usuários: Grã-Bretanha, Jordânia e Oman.



Origem
Grã-Bretanha
Tripulação
4 homens
Dimensões
comprimento: 11 m / largura: 3,5 m / altura: 2,5 m
Velocidade
56 km/h
Alcance
450 km
Peso
62 toneladas
Motor
Rolls Royce CV-12, a diesel, de 1.200 hp
Armamento
Um canhão L-30 de 120 mm, uma metralhadora coaxial de 7.62 mm e uma metralhadora anti-aérea de 7.62 mm


                                 www.militarypower.com.br                                   eXTReMe Tracker
                       A sua revista de assuntos militares na internet