Fragatas classe F100 - Espanha

As fragatas de emprego geral classe F100, com deslocamento de 5.800 toneladas, estão sendo construídas pelo estaleiro espanhol Navantia. A Marinha espanhola encomendou seis unidades e a primeira a ser incorporada foi a F101Álvaro de Bazan, comissionada em 2002, a seguir vieram a F102 Almirante Juan de Bourbon (2003), F103 Blas de Lezo (2004) e F104 Mendez Nunez (2006). As duas últimas F105 Roger de Lauria e F106 Juan de Austria serão comissionadas em 2012 e 2013 respectivamente. Esta classe de navios é a primeira da Europa a utilizar o sistema de combate AEGIS, fabricado pela americana Lockheed Martin, e cumprirão diversas missões como a proteção da frota, guerra anti-aérea, anti-superfície e anti-submarina, e ainda servir de nau capitânea de forças tarefa. O sofisticado, e caro, sistema AEGIS integra uma gama de sensores, permitindo a detecção, o acompanhamento e o engajamento de alvos através de seu radar tridimensional AN/SPY-1D, apoio às decisões, atividades de comando & controle, além de monitorar todos os sistemas de armas do navio. Operando na banda E/F, este radar é capaz de executar a busca aérea e de superfície de centenas de alvos, podendo disparar contra múltiplas ameaças simultaneamente. A suíte de contramedidas eletrônicas é composta pelo sistema ESM/ECM Aldebaran, da espanhola Indra, quatro lançadores de chaff e decoy Sippican Mk36 SRBOC da Lockheed Martin e sistema acústico anti-torpedo AN/SLQ-25A Nixie. O sonar de casco é um Raytheon DE 160 LF, possibilitando executar busca passiva ou ativa. As fragatas F100 possuem um deck de 26 metros que pode acomodar um helicóptero Seahawk SH-60B LAMPS III, equipado com sistema FLIR, sonobóias AN/SQQ-28, radar de busca em 360° AN/APS-124 e sonar de profundidade AQS-13F, aeronave esta otimizada para busca e ataque de superfície além do horizonte.



Passe o mouse sobre a torre da F100 para visualizar detalhes do sistema AEGIS.

Os armamentos das F100 incluem: dois lançadores quádruplos de mísseis anti-superfície Harpoon, com alcance de 120 km e orientação por radar ativo; mísseis superfície-ar Sea Sparrow com orientação por radar semi-ativo e controle de empuxo vetorado para maior alcance e melhor manobrabilidade; mísseis superfície-ar de médio alcance Raytheon SM-2MR Block IIIA, com alcance de 70 km e orientação por radar semi-ativo, provendo defesa de área; um canhão BAE Systems Mk.45 mod.2, controlado por um radar DORNA, sistemas eletro-óticos e um designador laser; um canhão Meroka 2B, de 20mm, com alcance de 2.000 metros e de alta cadência de tiro para defesa aérea de ponto; para apoio de fogo conta com mais dois canhões de 20 mm; dois lançadores duplos para torpedos Mk.46; e dois morteiros anti-navios. Os mísseis Sea Sparrow e SM-2MR são disparados a partir de lançadores verticais Lockheed Martin modelo Mk41. A propulsão está a cargo de uma combinação de dois motores a diesel Navantia com duas turbinas a gás General Eletric GE LM 2500 (CODAG). Em 1994 foi assinado um acordo entre a Espanha, a Holanda e a Alemanha para desenvolvimento de uma estrutura de casco baseado na classe F100, dando origem à classe holandesa De Zeven Provicien e à classe alemã F124 Sachsen. A Marinha do Brasil está analisando o projeto das fragatas F100, juntamente com modelos de outros fabricantes internacionais, como uma das possíveis candidatas à nova classe de escoltas de 6.000 ton. que no futuro substituirão nossas fragatas das classes Greenhalgh e Niterói.



Origem
Espanha
Dimensões
Comprimento: 146,7 m  / boca: 18,6 m / calado: 4,8 m
Deslocamento
5.800 ton
Tripulação
202 tripulantes
Alcance
4.500 milhas
Propulsão / potência
CODAG / 58.700 hp
Principais
armamentos
Mísseis anti-navio Harpoon, míseis anti-aéreos Sea Sparrow e
mísseis anti-aéreos SM-2MR

 

                                   www.militarypower.com.br                                   eXTReMe Tracker
                       A sua revista de assuntos militares na internet