Helicóptero Mil Mi-17 - Rússia


O helicóptero multimissão Mil Mi-17 (também conhecido como Mi-8M a serviço das Forças Armadas russas, codinome OTAN "Hip") está em produção em duas fábricas, em Kazan e Ulan-Ude desde 1975. É um helicóptero de transporte médio biturbina, que pode também exercer a função de aeronave de ataque. Desenvolvido a partir da fuselagem básica do Mil Mi-8, o Mi-17 está equipado com duas turbinas TV3-117MT, rotores e transmissão desenvolvidos para o Mi-14, juntamente com melhorias na estrutura para poder transportar cargas mais pesadas. O fabricante disponibiliza turbinas opcionais para condições de grandes altitudes e elevadas temperaturas, como a Isotov TV3-117VM, com potência de 2.070 hp. O Mi-17 se diferencia do Mi-8 por ter o rotor de cauda no lado da porta, em vez de estibordo, e filtros de poeira na frente das entradas das turbinas. Os capôs dos motores são mais curtos do que no Mi-8 e não se estendem até a cabina da aeronave. Em caso de falha em uma das turbinas a outra recebe automaticamente um incremento de potência, que permite à aeronave continuar voando até encontrar um local seguro para aterrisar. As modificações podem incluir uma nova porta grande no lado direito, placas de blindagem em klevar ao redor da área da cabine e das turbinas e uma rampa de carga em lugar das portas traseiras habituais, permitindo embarcar pequenos veículos. O trem de pouso é fixo porém reforçado para suportar pousos e decolagens em condições adversas, o cubo do rotor principal é de titânio e suas cinco pás são feitas em liga de alumínio. A tripulação é composta por piloto, navegador e mecânico de voo e o cockpit ainda traz muitos instrumentos analógicos. Está equipado com sistema de navegação PNKV-8PS, radar YuR-40.1 e sistema termal de busca e resgate TAPAS. Para aumentar a sobrevivência em combate, o Mi-17 possui reforço de blindagem na cabine, sistema de extinção de fogo automático, tanques de combustíveis auto-selantes e sistemas elétricos e hidráulicos duplicados. Possui capacidade para transportar até trinta soldados ou 3.000 kg em seu gancho externo. A variante armada, normalmente designada Mi-17V, está equipada com uma metralhadora calibre 12.7 mm, pods para foguetes S-5, estando apta a lançar mísseis antitanque 9M17P Skorpion ou bombas de 250 kg. Números atuais do modelo variam de acordo com o construtor, tipo de motor, e outras opções. Como exemplo, os 16 novos helicópteros, montados em Ulan-Ude para a Força Aérea Tcheca em 2005, com motores modelo VM, foram designados como Mi-171Sh, sendo um desenvolvimento a partir do Mi-8AMTSh.

Em maio de 2008, a produção licenciada do Mi-17 começou na China, em uma joint venture entre a Mil Moscow Helicopters e a Sichuan Helicopter Company Limited, em Chengdu, província de Sichuan. A fábrica produziu 20 helicópteros em 2008, montados a partir de kits fornecidos pelos russos e a produção deveria chegar a 80 helicópteros por ano, eventualmente. As variantes a serem construídas incluirão as versões Mi-171, Mi-17V5, e Mi-17V7. Por ser a “espinha dorsal” das forças helitransportadas russas, o Mi-17 foi amplamente utilizado pela Força Aérea e Exército no conflito da Cherchênia. O Mi-17 foi usado também pelo Exército colombiano na Operação Jaque, realizada em 2 de julho de 2008, onde 15 reféns mantidos por guerrilheiros das FARC, foram resgatados na selva de Guaviare. A Marinha mexicana utiliza seus Mi-17 para operações anti-narcóticos, na localização de campos de maconha e no transporte de fuzileiros para erradicar as plantações. As forças aéreas eslovaca e croata operaram seus Mi-17 no Kosovo, como parte da KFOR, missão da ONU na região dos Balcãs. Em julho de 2010, dois Mi-17 foram levados por uma equipe mista de Força Aérea dos EUA e pessoal da Força Aérea do Afeganistão em uma missão de 13 horas, que resgatou 2.080 civis das águas de uma grave inundação. Este foi o maior resgate por dois helicópteros da história da USAF. O piloto da USAF, Tenente-Coronel Gregory Roberts, recebeu o Distinguished Flying Cross por esta missão. Em 15 de dezembro de 2008, foi noticiado que a Índia iria comprar 80 Mi-17V-5, que seriam entregues à Força Aérea da Índia entre 2010 e 2014 para substituir os veteranos Mi-8. Uma ordem adicional para mais 59 unidades foi colocada em agosto de 2010. O primeiro helicóptero Mi-17V-5 entrou em serviço na Índia em fevereiro de 2012. Em agosto de 2010 foi assinado um contrato pela Força Aérea Argentina para aquisição de dois Mi-17E novos de fábrica, com opção para mais três, para prestar apoio a sua base na Antártida. Com baixos custos de aquisição e manutenção, comprovadas robustez, eficiência e versatilidade operacional, o Mi-17 em suas diversas versões é amplamente utilizado por mais de cinqüenta Forças Armadas ao redor do planeta.

 

Origem
Rússia
Dimensões
comprimento: 25,3 m / altura: 5,6 m 
Tripulação
piloto, navegador e mecânico de voo
Velocidade
250 km/h (máxima)
Peso
12.000 kg
Alcance
930 km
Motorização
duas turbinas Klimov TV3 117-MT,
com potência unitária de 1.923 hp

 

                                   www.militarypower.com.br                                   eXTReMe Tracker
                       A sua revista de assuntos militares na internet