.Combatentes




Tenente do US Army - Estados Unidos

Segunda Guerra Mundial
Atuação: "Dia D" (Omaha Beach) - 06/06/1944

O tenente do US Army retratado aqui saboreia um último drink antes de embarcar com seus homens na madrugada de 06 de junho de 1944, em um navio que os levaria até a costa da Normandia do outro lado do Canal da Mancha, onde participariam ativamente dos combates nas praias de "Omaha" e "Utah". Seu capacete de aço modelo US M1 tem a patente pintada na parte frontal, uma prática comum do Exército americano, a despeito da ameaça representada pelos snipers alemães. Sobre a jaqueta de combate modelo M1941 e do uniforme verde-oliva ele carrega uma série de equipamentos para o desembarque anfíbio. Uma bolsa semi-inflável sobre seu peito funciona como uma bóia de flutuação, para prevenir afogamentos ao descer da lancha ainda com água até a cintura, já que cada homem levava cerca de 50 kg de equipamentos e provisões. Logo abaixo da bolsa podemos ver uma pasta que era usada pelos oficiais para levar mapas e documentos. A maior prioridade em termos de equipamentos era a munição. Para tanto ele usa um colete especial de combate exclusivamente para carregar pentes extras, além do cinturão padrão. Seu armamento pessoal é composto pelo tradicional rifle M1 Garand, calibre 7.62 mm e carregador tipo flip para oito cartuchos, aqui visto apoiado em seu ombro direito, e pela pistola Colt.45 M1911 em um coltre de couro.

"Omaha" era o codinome de um dos cinco setores do litoral (os demais eram "Utah", "Gold", "Juno" e "Sword") da Normandia escolhido para os desembarques Aliados em 6 de junho de 1944, o "Dia D", na invasão da França ocupada pelos alemães durante a Segunda Guerra Mundial. Referia-se a uma parte da costa voltada para o Canal da Mancha com 8 km de comprimento, que ia do leste de Sainte-Honorine-des-Pertes a oeste de Vierville-sur-Mer, na margem direita do o estuário do rio Douve e uma falésia com cerca de 45 metros de altura. "Omaha Beach" seria responsabilidade das tropas da 1ª e da 29ª Divisões de Infantaria do Exército dos Estados Unidos, com o transporte marítimo, a neutralização de minas e o bombardeio naval a cargo da Marinha americana, com contribuições das marinhas britânica, canadense e francesa. O objetivo principal era assegurar uma cabeça-de-praia de oito quilômetros de profundidade, entre Port-en-Bessin e o rio Vire, ligando as tropas britânicas a leste, e alcançando a área de Isigny a oeste, para se unir ao VII Corpo de Exército em "Utah". Opondo-se aos desembarques estava a 352ª Divisão de Infantaria alemã, sendo que de seus 12.020 homens, 6.800 eram soldados de combate experientes, destacados para defender uma frente de 53 quilômetros. A estratégia alemã baseava-se em derrotar qualquer assalto marítimo na linha de água e as defesas eram principalmente implantadas em pontos fortes ao longo da costa. A 29ª Divisão de Infantaria norte-americana ainda não testada, junto com nove companhias do Exército dos EUA, atacaria a metade ocidental da praia. A 1ª Divisão de Infantaria já endurecida pela batalha recebeu a metade oriental. "Omaha" foi dividida em dez setores, codinomes (do oeste para o leste): Charlie, Dog Green, Dog White, Dog Red, Easy Green, Easy White, Easy Red, Fox Green, Fox White e Fox Red.

O assalto inicial seria feito por duas Equipes Regimentais de Combate (Regimental Combat Team ou RCT), apoiadas por dois batalhões de tanques, com dois batalhões de Rangers. Das nove companhias que desembarcam na primeira onda, apenas a companhia A do 116º RCT em Dog Green e os Rangers à sua direita desceram onde pretendiam, com as demais espalhadas por outros pontos da costa. Devido às difíceis condições do mar naquela manhã, a infantaria foi obrigada a descer das lanchas antes da arrebentação e os homens freqüentemente se encontravam em bancos de areia entre 45 e 90 metros de distância da costa. Para chegar à praia, eles precisavam atravessar este trecho com água às vezes até o pescoço, e ainda tinham que percorrer cerca de 180 metros ou mais quando chegavam na areia. A maioria das seções teve que enfrentar todo o peso do fogo de pequenas armas, morteiros, artilharia e fogo cruzado de metralhadoras. As baixas eram mais pesadas entre as tropas que desembarcaram nas duas extremidades de "Omaha". No leste, em Fox Green e no trecho adjacente da Easy Red, elementos dispersos de três companhias foram reduzidos a metade de seu efetivo antes de alcançarem alguma segurança, muitos deles tendo rastejado os 300 metros da praia logo à frente da maré. Dentro de 15 minutos após o desembarquer em Dog Green, no extremo oeste da praia, a companhia A/116 havia sido cortado em pedaços, com seus líderes entre as mais de 120 baixas, com os sobreviventes procurando desesperadamente cobertura na beira da água ou atrás de obstáculos.

A menor companhia de Rangers à sua direita tinha se saído um pouco melhor, alcançando o abrigo das falésias, embora com seu efetivo reduzido à metade. A companhia L/116 finalmente desembarcou, 30 minutos atrasada, à esquerda de Fox Green, com algumas baixas ainda nas lanchas e outras enquanto cruzavam os 180 metros da praia. O terreno no extremo leste de "Omaha" deu-lhes proteção suficiente para permitir que os 125 sobreviventes se organizassem e começassem a atacar as falésias. Eles foram a única companhia na primeira onda capaz de operar como uma unidade. Todas as outras companhias estavam, na melhor das hipóteses, desorganizadas em sua maioria sem liderança e presas atrás da faixa de cascalho que cobria parte da costa, sem esperança de realizar suas missões de assalto. Muito pouco se sucedeu como fora planejado durante o desembarque em "Omaha". Dificuldades na navegação fizeram com que a maioria das embarcações perdesse seus alvos ao longo do dia. As defesas foram inesperadamente fortes e infligiram pesadas baixas ao desembarque das tropas norte-americanas. Sob fogo pesado, os engenheiros se esforçaram para limpar os obstáculos da praia e os desembarques posteriores foram agrupados em torno destes poucos canais que haviam sido limpos. Enfraquecidos pelas baixas sofridas ao pisar na areia, as tropas de assalto sobreviventes não conseguiram limpar as saídas fortemente defendidas da praia. Isso causou mais problemas e e consequentemente atrasos para os desembarques posteriores. Pequenas infiltrações nas linhas de defesa alemã foram eventualmente alcançadas por pequenas frações efetuando assaltos improvisados, escalando corajosamente os penhascos entre os pontos mais fortemente defendidos. Ao fim do primeiro dia bolsões de resistência inimiga ainda lutavam atrás da linha de frente americana e toda a cabeça-de-praia continuava sob fogo da artilharia alemã. Apenas 100 das 2.400 toneladas de suprimentos programadas para serem desembarcadas no "Dia D" foram efetivadas. Um número exato de baixas sofridas pelo V Corpo em "Omaha" em 6 de junho não é conhecido; algumas fontes citam entre 2.000 e mais de 5.000 mortos, feridos e desaparecidos, com as maiores perdas sofridas pela infantaria, tanques e engenheiros nos primeiros desembarques. A 352ª Divisão alemã sofreu 1.200 mortos, feridos e desaparecidos, cerca de 20% de todo o seu efetivo.




 

 



Combatentes


Apresentamos os protagonistas das principais guerras do século XX, com o relato de onde e como atuaram, seus uniformes, suas armas e seus atos de bravura e heroísmo em combate. Histórias fascinantes que levarão o visitante a participar como coadjuvante dos eventos em que elas ocorreram. Para conhecer detalhadamente cada um destes valorosos soldados de infantaria, fuzileiros navais, paraquedistas e comandos de forças especiais, basta clicar nas janelas acima, por especialidade ou pela ordem em que foram incluídos os artigos nesta seção.

..... .. ...... ........

 

 

. ...................... . .......

 


www.militarypower.com.br
A sua revista de assuntos militares na internet
eXTReMe Tracker