Paraquedista do Exército da Índia

Atuação: Guerra Indo-Paquistanesa - 1971

 

A Índia e o Paquistão já se enfrentaram no campo de batalha em três oportunidades: 1948, 1965 e 1971. Em todas elas o exército indiano teve melhor desempenho, mas em nenhuma delas os dois países contavam com armas nucleares, com as quais se ameaçam mutuamente nos dias de hoje.


O conflito de 1971, onde contava com um contigente de 750.000 homens, equipados com armas e equipamentos procedentes de diversos países, foi um bem-sucedido balão de ensaio para o exército indiano: o exército paquistanês foi completamente derrotado em apenas doze dias.
Os indianos tiveram de lutar num terreno particularmente difícil - pântanos cortados por uma complexa rede de rios e canais - mas suas táticas, que incluíram uma operação de paraquedistas em nível de brigada e o uso extensivo de helicópteros, garantiram-lhes uma vitória incontestável.


Tradicionalmente o exército é recrutado entre as "raças guerreiras" do norte do país como os siques, gurkas e patans, o que lhe dá a vantagem de contar com voluntários altamente motivados. O legado imperial (domínio da Grã-Bretanha até 1947) ainda se reflete nos uniformes, na estrutura das graduações, na organização e na filosofia militar em geral.


O soldado paraquedista usa uma versão modificada do uniforme e do equipamento dos paraquedistas ingleses. O casaco é uma adaptação do modelo Denison com a insígnia da Brigada e o capacete de aço britânico está coberto com estopa e rede de camuflagem. A arma principal é uma versão L1A1 inglesa do fuzil belga FN-FAL, de calibre 7.62 mm.

 


                                 www.militarypower.com.br                                   eXTReMe Tracker
                       A sua revista de assuntos militares na internet