Comando Delta - US Army


Membros da Delta Force em ação. Em 1977 o Exército Americano autorizou a criação de uma nova força especial: o 1º Destacamento Operacional das Forças Especiais - Delta, cuja principal incumbência seria lidar com organizações terroristas que afetassem os interesses dos Estados Unidos. Seguindo o modelo do SAS britânico, o Delta divide-se em grupos de dezesseis homens, podendo operar como uma unidade ou subdividir-se em grupos de oito ou quatro efetivos cada um. Em 1980 foi feita uma reavaliação de alto nível, gerando um relatório com os seguinte pontos principais: 1) Recomendação: criar uma força tarefa conjunta antiterrorista com pessoal permanente e forças próprias; 2) Missão: planejar e conduzir operações antiterroristas visando defender os interesses dos Estados Unidos e de seus cidadãos fora do país; 3) Conceito: poder fornecer uma gama de opções para o uso de forças militares dos EUA, desde uma pequena força de pessoal especializado altamente treinado até uma força conjunta maior; 4) Relacionamentos: os quadros de pessoal seriam preenchidos com elementos das quatro Armas, selecionados com base em sua capacidade em operações especiais de vários tipos; 5) Forças: as forças permanentes deveriam ser pequenas e limitadas ao pessoal de capacidade inigualável em operações especiais.

A seleção e o treinamento, como não poderia deixar de ser, são rigorosos, com ênfase no potencial e nas qualidades individuais, em favor do trabalho de equipe. Os padrões de tiro ao alvo são muito elevados e os snipers devem conseguir um índice de 100% nos disparos feitos a 500 metros e de 90% a 900 metros. Todos são exaustivamente treinados em disparos a curta distância, para assegurar que em um confronto em ambientes fechados, como prédios ou cabines de aeronaves, somente os terroristas sejam atingidos, garantindo a vida dos reféns. Pouco é divulgado sobre as armas e equipamento do Delta, embora seja óbvio que seus integrantes estejam aptos a utilizar tudo o que a mais avançada tecnologia possa oferecer. Os atiradores sniper usam fuzis Remington 40 XB, com visor telescópico e as equipes usam metralhadoras M-60 e HK-21, terminais de comunicação portáteis de última geração, óculos de visão noturna, fuzis M-16 aperfeiçoados, pistolas automáticas entre outros equipamentos.

Participaram da fracassada Operação Eagle Claw, em 1980, na tentativa de resgatar os reféns americanos mantidos cativos na embaixada dos Estados Unidos no Irã, por seguidores do Aiatolá Khomeini. Sua mais recente missão foi na ofensiva americana contra o Afeganistão, onde foram os primeiros a desembarcar em solo afegão, na caçada aos terroristas da Al Qaeda e de Osama Bin Laden.





                                   www.militarypower.com.br                                   eXTReMe Tracker
                       A sua revista de assuntos militares na internet