Submetralhadora Uzi - Israel

A primeira submetralhadora Uzi foi desenhada pelo major Uziel Gal, do Exército israelense, em fins dos anos 40. O protótipo foi concluído em 1950 e após rigorosos testes, foi escolhida em detrimento de outras armas com desenhos mais convencionais, por sua simplicidade e facilidade de manufatura, sendo introduzida primeiramente nas unidades de forças especiais em 1954 e dois anos depois adotada nas demais unidades. A Uzi se mostrou ideal como arma de defesa pessoal para oficiais, tropas na reserva, guarnições de peças de artilharia e de carros de combate, e principalmente como arma padrão das tropas de elite e comandos das Forças de Defesa de Israel (IDF). A arma é fabricada a partir de chapas de metal estampadas, o que torna seu custo de produção por unidade bem menor do que se fosse montada através de metais forjados. Seu desenho com ferrolho aberto expõe a culatra a cada disparo, o que se por um lado aumenta a refrigeração durante períodos de fogo contínuo, por outro, ao permanecer aberta a torna mais suscetível de contaminação por areia ou poeira. Este mecanismo permite que as versões militares e policiais disparem imediatamente após o cartucho ser carregado na câmara de detonação. Enquanto o sistema de ferrolho aberto é mecanicamente mais simples do que um design de ferrolho fechado (por exemplo da Heckler & Koch MP5), cria-se um atraso perceptível entre quando o gatilho é puxado e quando a arma dispara. Com relativamente poucas partes móveis, a Uzi é muito fácil de ser desmontada para manutenção ou limpeza. A Uzi possui dois mecanismos externos de segurança: o primeiro é um seletor de três posições, localizado logo acima da empunhadura, com uma posição "S" de safe (seguro) que trava a arma para evitar disparos acidentais e outras duas posições de cadência de tiro; o segundo está localizado na parte de trás da empunhadura e visa prevenir um disparo acidental se a arma cair no chão ou se o operador perder o controle da arma durante uma sequência de disparos. Estão disponíveis diversos tipos de coronha para a Uzi, em metal com a parte que encaixa no ombro arredondada ou reta, vazada ou não, rebatível ou com regulagem tipo telescópica, e até uma versão confeccionada em madeira para o mercado civil americano que atendia à legislação sobre armas daquele país.

O carregador fica alojado dentro da empunhadura da arma, como nas pistolas automáticas, permitindo um recarregamento rápido e intuitivo no escuro ou em situações de combate. O original para Uzi calibre 9 mm tem capacidade para 25 cartuchos, mas experimentalmente testou-se carregadores com 40 e 50 balas que não se mostraram fáceis de usar e carregar, fazendo com que mais tarde um carregador extendido com 32 cartuchos fosse aceito como padrão. Em geral a submetralhadora Uzi é considerada uma arma bastante confiável, contudo mesmo ela já foi vítima de condições extremas de uso no deserto. Durante a campanha do Sinai na Guerra do Yom Kippur em 1973, as unidades do Exército israelense reportaram que suas armas pessoais deixaram de funcionar adequadamente devido à ingestão exagerada de areia e poeira. Porém, graças a seu tamanho compacto e seu poder de fogo, foi extremamente eficiente nos combates para a tomada de posições defensivas sírias e jordanianas durante a Guerra dos Seis Dias em 1967. A Uzi se provou especialmente útil para os homens da infantaria mecanizada que necessitam de armas compactas nos espaços apertados do interior de veículos blindados e unidades de infantaria que precisam combater em áreas confinadas. Porém seu alcance limitado e pouca precisão quando em disparo automático fizeram com que fosse retirada das unidades da linha de frente e se torna-se a arma inseparável das forças especiais ou unidades de comandos. Em 2003, a IDF anunciou que estava retirando as submetralhadoras Uzi do serviço operacional em todas as unidades israelenses e as substituindo pela totalmente automática Micro Tavor. As variantes militares incluem ainda a Mini Uzi introduzida em 1980, a Micro Uzi introduzida em 1986 e a Uzi Pro lançada em 2010. Desde sua criação, há mais de sessenta anos, a Uzi em todas as suas versões já foi exportada ou produzida sob licença em mais de 90 países nos cinco continentes, tanto para Forças Armadas quanto para uso policial, tornando-se uma das armas pessoais mais comercializadas de sua categoria. Ainda hoje ela amplamente empregada por diversos países ao redor do mundo, principalmente por suas unidades de forças especiais, devido a sua confiabilidade, portabilidade e poder de fogo, incluindo o GERR e o GRUMEC da Marinha do Brasil.

Origem
  
Israel
Calibre
9 mm
Comprimento
0,47 m
Peso
3,7 kg (sem munição)
Cadência de tiro
600 tiros/minuto
Alcance efetivo
200 m
Carregador
25 / 32 cartuchos



                                   www.militarypower.com.br                                   eXTReMe Tracker
                       A sua revista de assuntos militares na internet